segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Dia do Brasil


Sete de setembro! Pelo menos mais um dia no ano que a gente se lembra que é brasileiro. Fora Copa do Mundo, acho estranho não se celebrar um pouco de patriotismo além daquelas aulas de Moral e Cívica.

Eu acho mesmo um exagero ter bandeiras na porta de casa, na entrada e nos interiores dos bares, nas festinhas de criança como se tem no nosso vizinho daqui do sul. No Canadá tem bastante também, mas não chega a tanto. Por lá eles beiram um certo fanatismo.

Mas sabe que a ausência total também não é das mais saudáveis? Acho bonito celebrar os valores, as cores e pelo menos reforçar o sentimento de pátria, de união, de valorização de uma coisa que muita gente brigou pra deixar junta. O Brasil é uma dessas coisas estranhas no quesito "formação de país".

Imaginem só um troço daquele tamanho, cercado por todos os lados de Espanha inquisidora, várias invasões, recursos naturais abundantes, dominado por um lugar menor que o estado de Pernambuco? De bobos os portugueses não tinham nada, viu... Como conseguiram ficar tão mal das pernas é outra história, mas por terem mantido o Brasil como uma coisa só, a gente tem que tirar o chapéu. O 5° maior país do mundo em área fala uma só língua. É um "felômeno".

Acho que não faria nada mal colocar um pouquinho mais de verdeamarelismo na veia. Aí alguém vem falar: "ahhh... Agora lá vem o 'patriota' querendo dar uma de brasileiro". Rerererere... Como costumo falar, o coração é brasileiríssimo, mas na hora do "vamo vê", a gente sempre pensa no próprio umbigo, certo?

Quando a gente estava pensando em se mudar do Brasil me ocorreu (e ainda penso) várias vezes: "po***! Me sinto até meio covarde por estar abandonando o barco assim." Podem acreditar que passa sim pela cabeça do véio.

Abraços e feliz 187° da independência.

3 comentários:

Marcia disse...

Oi Gleydson, estou pensando em me mudar ano que vem para Vancouver. Quanto a se sentir culpado por abandonar o barco, vou te dizer que já passei há tempos pela culpa. Quando eu era mais nova me sentia MUITO culpada por ter o que tenho, depois entendi que o certo é ter o que tenho. A realidade da pobreza no Brasil é culpa obviamente das pessoas que desviam verba, dos que mantem a impunidade, etc. Meus avós chegaram ao Brasil fugindo do nazismo, trabalharam enlouquecidamente, meu pai não pode fazer faculdade (que era o seu sonho) porque tinha que trabalhar, eu pude estudar o quanto quis e sempre trabalhei, pago impostos até dizer chega e pago tb escola, plano se saúde e condomínio caro porque não recebo saúde, educação e segurança do Estado. Para onde vai meu imposto? todo mundo sabe. Será que eu não tenho o direito de "abandonar o barco"? Será que se eu ficar vou efetivamente ajudar a mudar isso tudo? Não me sinto tão poderosa assim. Acho que ninguém precisa sentir culpa de buscar um lugar mais justo, não sinta. É seu direito viver no Canadá, ser feliz, fazer uma família feliz.
bjs
Marcia

Rav disse...

Feliz dia do Brasil para vc tb. :-P

Não se sinta culpado vcs são nosso Marketing internacional. Vcs q não perceberam q o Brasil está usando o seu melhor para fazer propaganda...rs

Pessoas trabalhadoras e honestas são o melhor Mkt q um País pode fazer!!!

Bjos em vcs 3!!!

Carlos ( KK ) disse...

Esse lance de abandonar o barco tb me passou pela cabeça. Mas aí pensei bem: aguentar Sarneys, violência e partidos políticos contrários que na verdade são farinha do mesmo saco não dá!

Acho que na verdade foi o país que me abondonou.