quinta-feira, 12 de julho de 2007

As Pessoas

Oi pessoal! Depois de uma ausência considerável, lá vou eu de novo com minhas postagens "técnicas". Hehehehehe... Aproveitando que estou aqui ao som de "Velvet Revolver" - aliás, que banda hein!!! Esse Scott Weiland canta demais! Não vou nem falar do Slash que é sacanagem.

Voltando ao assunto do título da postagem, quando a gente está no Brasil sempre escuta: "o Canadá é um país de imigrantes, multicultural" e todas aquelas coisas. Mas olha, não temos a mínima noção do que é isso a menos que estejamos no meio. Acredito que seja assim nas 3 maiores cidades do Canadá. Como a Sílvia (oi amor!!!) disse em mensagens anteriores, tem gente de tudo quando é lado.

Aí você vem me dizer que "isso também tem em São Paulo!!!" Tem, tem sim, mas não é tão variado e nem é tão perceptível. Dizer que constatou isso na Liberdade, trombando com nissei e sansei também não vale, né? Hehehehehe...

Só pra citar alguns dos países representados aqui de alguma forma, dos que me lembro, claro, em restaurantes, casas de chá, livrarias, centros comunitários, vizinhanças, festivais, estudantes, publicações:

Ásia: China, Japão, Coréia do Sul, Vietnam, Cambodja, Indonésia, Tailândia, Índia, Paquistão, Filipinas, Mongólia, Malásia, Irã, Iraque, Turquia, Líbano

Oceania: Austrália, Nova Zelândia

África: Egito, Etiópia, Argélia, Tanzânia, Quênia, Camarões

Europa: Islândia, Irlanda, Reino Unido, Portugal, Espanha, França, Itália, Suíça, Alemanha, Grécia, Bulgária, Romênia, Armênia, Rússia, Sérvia, Ucrânia

América do Norte e Central: México, Guatemala, Honduras, El Salvador, Jamaica, República Dominicana, Trinidad e Tobago, Estados Unidos da América, Canadá (YES!!!)

América do Sul: Colômbia, Bolívia, Peru, Chile, Argentina, Brasil (YESSSS!!!)

O pessoal que tem ascendência asiática é a enorme maioria. Em Vancouver, metade da população tem origens no extremo oriente (principalmente China) e Índia. Reforçando ainda mais a idéia de país de imigrantes, meu ex-professor de inglês daqui nos disse que 52% de toda população do Canadá tem o inglês como segunda língua. É um caldeirão mesmo. Não é uma imigração em massa como aconteceu com italianos, alemães e irlandeses nos séculos 19 e 20.

Se isso é bom? A minha opinião é que sim, mas já escutamos algumas teorias bem estranhas por aqui. Hehehehehe... Uma delas, por exemplo, é que os imigrantes acabam se tornando uma "reserva de mercado"... Como assim, né? Talvez isso seja algum reflexo de alguns que acham que estão sendo invadidos, tendo seus empregos pilhados por "um bando de iletrados", fenômeno comum na Europa ocidental, depois da abertura do leste. De fato tem muita gente que chega aqui com um inglês fraco e acaba se prestando àquela fatia do mercado que a gente chama no Brasil de "subemprego", o que aqui eles chamam de "odd job". Mas essa modalidade de prestadores de serviço vive muito bem com o salário-mínimo de C$ 8,00 por hora, obrigado. Então acho que está longe do dito "subemprego" que a gente classifica no Brasil.

O Canadá ainda presta um serviço à humanidade que é o de aceitar refugiados. Esses aí sim chegam nas piores condições, principalmente no quesito idioma. O outro lado é o da imigração de pessoas qualificadas - a categoria que nos inscrevemos no fim de 2005. Esses também acabam caindo nas malhas dos "odd jobs", ainda mais quando precisam ter suas credenciais reconhecidas por algum órgão canadense. Vê-se facilmente pessoas com nível de escolaridade muito alto dirigindo táxis e limpando pratos. Mas digo pra vocês que a grande maioria está procurando se recolocar de acordo com seus conhecimentos. Essa sim deve ser a tal "reserva de mercado" que alguém resolveu nomear.

O que acho fascinante nessa mistureba são as possibilidades de contatos com culturas de todas aqueles lugares. Cada um traz um pouco do seu gingado e se agarra como pode nisso pra manter até uma certa dignidade.

Preconceito existe sim, ainda mais quando se tem pessoas se tornando uma maioria visível. Uma coisa que meu ex-professor (o mesmo da informação dos 52%) disse é que os alunos que vêm passar uma temporada aprendendo o inglês e que ficam em casas de locais reclamam que não estão em casas de famílias canadenses... Hehehehehe... Acho que essa é uma das maiores gafes que se pode cometer por essas bandas. Quem nasce no Canadá é canadense, tenha ele cara de brasileiro, russo ou queniano; e pra se tornar um canadense, uma pessoa que vem de fora precisa somente de 3 anos de residência permanente. Então se você vem estudar inglês e contratar uma "homestay", a possibilidade de você vir parar na casa de uma família canadense COM ASCENDÊNCIA JAMAICANA é muito grande. Hehehehehe...

E com o verão na cabeça - 30 graus direto - o pessoal compacta tudo quanto é evento de tudo quanto é comunidade nesses 2-3 meses. Como já disse antes, é bonito de ver a alegria dos que já estão instalados no Canadá a mais tempo com o sol. A gente não dá muita bola no Brasil porque 30 graus pra gente é até uma temperatura "amena" em alguns lugares. Hehehehehe... Agora, vem passar uma temporada de 6-7 meses de frio todos os dias e mais uns 2 meses de pouco frio pra ver se não vai dar valor pros 30 graus. :-) Isso foi o que disseram pra nós.

Bom, eu adoro uma foto. Não poderiam faltar em um festival de rua aquele pessoal que toca as flautas andinas com um "sampler" no fundo. Hehehehehe... Essa vizinhança é reduto dos latinos em geral, não só latino-americanos. Esses artistas são peruanos. 'Tão mandando ver em uma espécie de cavaquinho:


Dia da Grécia! ÔPA!!!

Uma banda apaixonada por música grega. Achei curioso o chinelo deles com aqueles pompons. Hehehehe... Os sapatos dos dançarinos da outra foto também tinham, por isso cheguei ao referendo que isso é uma tradição:

Mais Grécia: uma "pequena" porção de comida grega... 'Tava bom pacas e as porções nos lembraram o restaurante "Tudo Pelo Social" lá de Porto Alegre: gigantescas!!!

Essa é a estação de metrô perto da nossa casa - Lougheed; não lembra os telhados dos templos orientais?

Hehehehe... Esse é tradicionalíssimo também em vários lugares do nosso Brasil; pena que aqui não tem pastel de feira... Hmmm... Nicho de mercado:

O pessoal dessa 'tava comprando uma gororoba que não identifiquei de onde em frente a um restaurante italiano:

Mais uma "misturada cultural". Ou não? :-P

Esses aí estão em toda parte do mundo! A comunidade aqui é bem pequena, diga-se de passagem... Diga-se de passagem também que a churrascaria é um tanto decepcionante... Uma pena. Não por ser brasileira, longe disso, pelo amor de Deus. É que só tem algo parecido com picanha, algo parecido com alcatra e lingüiça. Hehehehehe... Não dá pra comparar com nenhuma das que temos no Brasil. Agora, o que é aquela primeira moça com uma coisa parecida com um chapéu de desfile de alta costura... Não é traje de Carnaval de jeito nenhum. Hehehehe...

Fazendo uma graça com a famosa folha - o cabelo já é antigo:

Fim de festa com cerveja irlandesa, claro!

É isso, meus caros! Depois que contratei o instituto Gallup com uma parceria do IBOPE, descobri um salto quantitativo notável no número de leitores: de 4 passaram para mais de 8! Hehehehehe... Brincadeira! Agradeço a atenção de vocês e prometo melhorar.

Abração e fiquem com Deus!

2 comentários:

Rodrigo disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Se você quiser linkar meu blog no seu eu ficaria agradecido, até mais e sucesso. (If you speak English can see the version in English of the Camiseta Personalizada. If he will be possible add my blog in your blogroll I thankful, bye friend).

lulauffer disse...

OI Gleydson.
Só pra adicionar, o dono do restaurante "Samba" é um chinês de Hong Kong... Daí tu fazes uma idéia do que é.
Tem mais fofocas dele, mas não vou publicar pra não ser processada ;)
Lu