quarta-feira, 30 de maio de 2007

A Cidade (1)

Vancouver é uma daquelas cidades que todos se encantam, tanto pelas suas possibilidades de natureza quanto pela área urbana em si. Como costumo falar pra alguns, parece o nosso Rio de Janeiro: montanhas de um lado, com um verde infinito, e o mar do outro lado. A diferença é que não temos aqui dentro da cidade praias balneáveis como no Rio e as montanhas não tem o granito exposto. Já a área urbana por aqui é de uma limpeza impecável, impressionante mesmo. Se for então até uma área turística, parece que tudo é de plástico de tão bonitinho! Hehehehehe...

É considerada a 3a maior cidade do Canadá porque tem uma área metropolitana de 2 milhões de habitantes, praticamente do mesmo tamanho de Goiânia; a cidade em si mesmo tem por volta de 500 mil, e o que geralmente o pessoal chama de "Vancouver" é a área central (Downtown), cheia de prédios espelhados que a conferem o título de "Cidade de Vidro". Tem todo um ar de metrópole esse pedaço, com centros financeiros, grandes galerias de shoppings e lojas de departamentos famosas, que costumo comparar à área da Avenida Paulista de São Paulo. Agora, se você olhar em volta vai perceber que o predominante são as extensas áreas residenciais, cheias de casas assobradadas, salpicadas com prédios lá e acolá, com muito verde.

Essa grande área residencial formada pelo "resto" de Vancouver e as outras cidades da região metropolitana é muito daquilo que estamos acostumados a ver em filmes que mostram os subúrbios dos EUA: casas sem grades nas janelas, sem cercas, gramadões no quintal e frente com jardim. Eles também não podem ver uma pracinha com grama e umas árvores que já vão chamando de parque. Hehehehehe... E o que não falta são parques por aqui. Agora então que estamos na Primavera é de babar a misturada de cores e como eles conservam bem esses recantos. Parece até que é de plástico (de novo!) Hehehehehe... Destaque para o Stanley Park, que é o maior parque urbano da América do Norte. É um apêndice da área central e é ponto obrigatório pra quem quiser ser um bom entendedor do espírito da cidade.

No momento estamos morando em Coquitlam, como já dissemos em uns posts atrás. O que diferencia as cidades? Praticamente nada. O que divide Vancouver de Burnaby e Burnaby de Coquitlam é uma avenida. Estamos a 2 quarteirões de Burnaby, coisa de 35 minutos de "Vancouver" via Sky Train.

Coisas que marcam:

- a quantidade de centros comerciais - não 'tô nem falando de Shopping Centers. Você tropeça em um e cai no outro;

- o pouco uso de tijolos nas construções - parece que as paredes são de papelão, juro!

- as bases e colunas (pelo menos isso) são só concreto, mas as paredes... Acho que acelera o processo de construção, mas não sei se é tão mais barato;

- os prédios históricos são tratados com muito respeito; na parte antiga da cidade, praticamente 100% das fachadas são as mesmas de 100 anos atrás;

- estão revitalizando algumas áreas, subindo muitos prédios em outras e é guindaste pra todo lado! Já fazem parte da paisagem;

- campos de golfe... Apesar de não conhecer nenhum ainda e nem jogar o tal esporte, eles são dezenas! Aqui o golfe é um esporte como qualquer outro;

- não existem os guetos demarcados, mas existem algumas áreas predominantemente ocupadas por imigrantes, mas nada que seja tão gritante, tão isolante;

- a Chinatown daqui só perde pra de São Francisco e pra de Nova Iorque, mas não é gueto, hein! ;-)

- eles têm cassinos - mas eu não vou! :-)

- o estádio deles é coberto, tipo aqueles da Copa da Alemanha; é usado pra shows e pros jogos de futebol americano;

- os campos de pelada deles são concretados e usados pra hóquei sobre patins;

- as montanhas ainda têm neve e são muito bonitas, nossa... Acho que não vou me cansar daquela paisagem. Não, não fomos ainda lá ver a neve;

- já vimos igrejas de todos os tipos e credos aqui: anglicanas, batistas, presbiterianas e até católicas. Bonitas que só vendo!

- a paisagem da área central e do sul da cidade é cheia daqueles cabos de trolleybus, que nem no centro de São Paulo. Mas sabe que aqui nem polui tanto a paisagem?

- o pessoal usa muito os pontos cardeais pra se orientar e inclusive os nomes das ruas às vezes vêm acompanhados deles; pra quem vier, prepare-se na hora de pedir informações para coisas do tipo "esquina leste", "saída norte", "lado sul", "west bound", etc.

E como nem tudo são flores, uma parte de Downtown - a parte leste - está sofrendo um processo de deterioração já a algum tempo e com o advento das Olimpíadas de Inverno de 2010, o governo está "limpando" a região, tornando ainda mais difícil a vida dos moradores de rua de lá. "O QUÊ!!! Morador de rua?!?" Isso mesmo... O pior é que eles não sabem bem o que fazer com esse pessoal, que é composto em sua maioria por usuários de drogas e pessoas com alguma espécie de problema mental - ou os 2. Vou falar mais deles em outro post sobre as pessoas.

Como citei os guindastes antes, eles fazem parte dos planos da cidade para as tais Olimpíadas. Vamos ser beneficiados inclusive com um braço da linha do metrô (Sky Train) que vai ligar Downtown até o aeroporto. Os taxistas devem estar amando a idéia! :-P

Daqui a pouco eu publico umas fotos pra ilustrar. Abraços a todos e não fiquem com vergonha de deixar um comentariozinho abaixo.

2 comentários:

orlando_correia disse...

Gleydin!

Bem legal esse post, que saudade que dá!

Fica tranquilo que tudo se acerta e daí vc vai poder ir lá ver a neve :p

abração,

Orlando e Carol

Fabiane Bueno disse...

Olá Gleydinho e Silvia!!!!
Já fazia algum tempo que queria escrever para vcs....Amei as fotos!!!Nossa aquela ponte eu não atravesso nem pagando, imagine eu que morro de medo de altura e ainda mais com a ponte balançando.
Beijos!!!Ah!Precisamos falar mais no skype.
Inté.
Fabiane Bueno